Home

Adquira aqui a versão impressa ou a digital na

SOBRE O LIVRO

Este livro tem como objetivo principal apresentar a importância do engajamento das pessoas no ambiente de trabalho das organizações empresariais, bem como o conceito de espiritualidade nas organizações com base em uma abordagem da Psicologia Transpessoal,  mostrando que a sua prática assume papel diferenciado na promoção do bem-estar no ambiente organizacional e também da realização pessoal.

A espiritualidade deve fazer parte dos planos estratégicos das organizações, dando liberdade de expressão para ideias e pensamentos, sendo elemento transformador íntimo das emoções, da maneira de ser, de pensar e de agir dentro da prática da ética e do bem. As organizações que são espiritualizadas vêm adotando posturas ligadas a valores, tais como a paz interior, a verdade, o respeito e a honestidade, a busca por significado, equilíbrio, humanização e maior integração com a sociedade.

Adquira aqui

O livro Desenvolvendo Organizações aborda dentre outros assuntos, a espiritualidade nas organizações – ou seja, a valorização da ética e da humanização nos negócios – implica maior vantagem em termos de qualidade para a realização de novos negócios.


SOBRE OS AUTORES

MARCOS MENDES ROCHA

Natural de Campinas – SP, é Graduado em Ciência Contábeis e Administração de Empresas, Pontifícia Universidade Católica de Campinas – SP. Pós-graduado em Psicologia Transpessoal pelo Instituto de Pesquisas e Estudos da Consciência e Faculdade Porto das Monções – SP. Constelador Familiar e Organizacional, IPEC – Campinas,SP.Fundador do Instituto de Fomento e Apoio ao Terceiro Setor, Centro de Difusão e de Estudos APTO e Instituto Ambiental Apoio Brasil – SP. Atua como consultor organizacional, atendendo organizações empresariais em todas as regiões do Brasil.

YUNARE MARINHO TARGINO

Cidadão Luso-Brasileiro, natural de Campina Grande – PB, é Graduado em Engenharia Mecânica, UNIFOR – CE. Pós-Graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho, Universidade Christus – CE. Pós-graduado em Psicologia Transpessoal pelo Instituto de Pesquisas e Estudos da Consciência e Faculdade Porto das Monções – SP. Mestrado em Concepção, Gestão e Meio Ambiente, ENSAM – Paris,França. Constelador Familiar e Organizacional, IPEC – Campinas,SP. Desde 1998, atua com metodologias voltadas para excelência das organizações industriais, com trabalhos realizados no Brasil, Portugal, Espanha, França e Holanda. Atua como  Gerente de Processos Industriais no Grupo M. Dias Branco.

CONTEÚDO

  • INTRODUÇÃO

    Por que, dentro das organizações, tantas pessoas se sentem desanimadas e temerosas quanto ao futuro? Por que o desespero aumenta à medida que os métodos passam, mais breves e mais caros, a cada tentativa de melhorar? Por que os esforços para criar uma mudança organizacional duradoura e significativa resultaram em tantos fracassos? Nós e nossas organizações existimos num mundo de atividade evolutiva constante. Por que a mudança é tão estranha às organizações humanas? Por que a produtividade e o desempenho das organizações e das pessoas são tão imediatistas nos dias de hoje? Por que as organizações, que são compostas por processos e indivíduos – entidades vivas, portanto, espirituais, não possuem pensamentos, vontades e sentimentos alinhados?

  • CAPÍTULO 1 – TEORIAS SOBRE A MOTIVAÇÃO HUMANA

    A motivação é uma condição fundamental e indispensável para o alcance dos objetivos pessoais, do trabalho, das organizações e dos países, por isso serão apresentadas, nesse capítulo, teorias sobre a motivação humana.

    1.1 – Conceitos sobre a motivação

    De acordo com Castro (1996), a motivação humana tem sido um dos maiores desafios na gestão organizacional para muitos psicólogos, gerentes e executivos. Inúmeras pesquisas têm sido elaboradas e diversas teorias têm tentado explicar o funcionamento desta força aparentemente misteriosa, ou ainda desconhecida, que leva as pessoas a agirem em direção ao alcance de objetivos. Pesquisas e enquetes realizadas sobre esse assunto, entretanto, normalmente mostram que existe ainda muita confusão e desconhecimento sobre o que é e o que não é a motivação ou se esta poderia ser confundida com automatização.

  • CAPÍTULO 2 – ASPECTOS GERAIS DA PSICOLOGIA TRANSPESSOAL

    2.1 – O significado de transpessoal

    O significado da palavra “transpessoal”, conforme o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa é: “que está além do que é pessoal”; e, conforme o Dicionário Caldas Aulete da Língua Portuguesa, é: “que ultrapassa a fronteira pessoal da psique” (modelo transpessoal).

    A palavra transpessoal significa “além da pessoa”. Mas o que há além da pessoa, do ego, do eu? A história mostra que o homem, em todas as épocas da humanidade, sempre buscou a sua essência e o autoconhecimento através da sua relação com a natureza, com os astros, com os deuses, com o sobrenatural, com aquilo que ultrapassava a fronteira da vida física. Nesses mistérios residia a chave da sabedoria e do conhecimento, a união do ser humano com a sua essência. Mas a história também mostra que depois o homem perdeu o contato com essa sabedoria, engrandecendo o pensamento racionalista e mecanicista, desenvolvendo outros raciocínios e valores. Porém, o homem vive hoje um processo evolutivo e consciente, retomando o conceito do sagrado e percebendo que a vida é uma evolução da consciência para além do eu e da realidade que nos cerca. A busca incessante de uma superação da consciência comum em direção a outros estados de percepção da realidade é a essência da fundamentação da Transpessoal.

  • CAPÍTULO 3 – ASPECTOS TRANSPESSOAIS NA MOTIVAÇÃO DO TRABALHO

    Segundo Weil (1997), embora a fraternidade tenha sido, desde o princípio da civilização, uma questão inserida no contexto da espiritualidade, ainda hoje, quem fala em fraternidade e amor é muitas vezes visto como “idealista”, sonhador, vivendo nas nuvens, sentimental, atrasado.

    Ele afirma que a separatividade entre a ciência, arte, filosofia e tradições pode ser o maior responsável pelo caos que se verifica atualmente, uma vez que, por consequência, parece ter contribuído para o distanciamento entre a ciência, a tecnologia e a ética…

  • CAPÍTULO 4 – Cultura de Melhoria Contínua

    Neste livro, as atividades referidas são como “melhoria específica” porque, nas indústrias, nas organizações e em processos, a prioridade para estas atividades intensas em times de melhorias é o crescimento da produtividade, não apenas dos postos de trabalho, mas também de todo o processo ou planta e, principalmente, através do desenvolvimento das pessoas. Projetos individuais podem ser “focados” nos processos gargalo ou na necessidade de simplificação do processo, aplicação de treinamentos em ferramentas e metodologias, com o foco no engajamento das pessoas.

  • CAPITULO 5 – PLANO DE SUCESSÃO

    O plano de sucessão e carreiras numa organização é essencial para identificar os principais fatores motivacionais, a continuidade e a garantia dos seus processos e principalmente para alcançar e manter a felicidade e a harmonia no ambiente organizacional.

    É importante que sejam delimitados os papéis com antecedência, para que não haja conflitos entre o sucessor e o sucedido. É importante que o sucessor compreenda que o seu sucedido passou por outras fases e experiências que fizeram com que ele hoje tome decisões diferentes do que ele julga correto. Os sucedidos têm hábitos mais conservadores que necessitam de reflexões antes de tomar atitudes. Ao contrário disso, os sucessores têm impulsos fortes, gostam do novo e da mudança, são audaciosos e gostam do risco; e este estilo deve ser considerado no momento da sucessão. Ele precisa compreender esta diferença e deve cuidar ao podar os ímpetos para que não haja desânimos e desmotivação por parte deles para continuar na organização.

  • CAPÍTULO 6 – ORGANIZAÇÕES TRANSPESSOAIS

    “O essencial é invisível aos olhos e sentido com a alma… a mágica é ver diferente aquilo que os olhos veem sempre, ser ver.”
    – Rubem Alves

    Para inserir e explicar este novo conceito de organização transpessoal no contexto do mundo corporativo, é necessário em primeiro lugar tratar sobre a espiritualidade nas organizações com um olhar sem preconceitos.

    6.1 – Um olhar sem preconceitos

    Espiritualidade é uma palavra que, por si só, estimula em muitas pessoas uma série de preconceitos, principalmente no mundo ocidental corporativo das organizações empresariais. Para entender a espiritualidade no contexto organizacional e as suas conexões com as pessoas e a vida, pedimos ao leitor que porventura esteja entre aqueles que não estão familiarizados com o tema ou que tenham algum preconceito em relação a ele que se permita mergulhar nos capítulos desse livro, dando uma chance a si mesmo para compreender e aceitar novos conceitos. Também acreditamos que esta compreensão e aceitação a partir de uma mente aberta acerca do vasto e complexo conhecimento do processo evolutivo pelo qual o ser humano teve de passar para chegar ao “aqui e agora”, ou seja, ao momento presente, já seriam suficientes para dar uma chance ao entendimento e aceitação dos princípios da espiritualidade nas organizações. Somente a partir de um referencial mais intuitivo e meditativo do que racional e lógico, podemos chegar a uma compreensão e aceitação dos fenômenos visíveis e invisíveis ligados às organizações empresariais…

  • CAPÍTULO 7 – ORGANIZAÇÕES TRANSPESSOAIS – INTEGRAÇÃO DOS CORPOS SUTIS NAS ORGANIZAÇÕES – APLICANDO RAZÃO, EMOÇÃO, INTUIÇÃO E SENSAÇÃO (REIS)

    Como já foi visto anteriormente no capítulo 2, Vera Saldanha, psicóloga brasileira, pesquisadora da Transpessoal no Brasil desde 1978, aborda como referencial teórico nessa área dois eixos: o experiencial e o evolutivo.

    O eixo experiencial é a representação da experiência humana e está relacionado à vivência de nossas quatro funções psíquicas: razão, emoção, intuição e sensação (REIS); e o eixo evolutivo representa, portanto, o caminho através do qual ascendemos em direção ao potencial divino e sagrado latente em nossa essência. Isto ocorre na medida em que vamos integrando essas funções psíquicas na vida cotidiana…

  • CAPÍTULO 8 – AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES TRANSPESSOAIS

    “Nós precisamos tornar-nos as mudanças que queremos ver no mundo.” – Gandhi

    Com base na visão espiritual acerca do ser humano e das organizações, apresentada no capítulo anterior, podemos fazer agora algumas constatações importantes e decisivas para os processos de mudanças, que muitas vezes são necessários, visando ao bom funcionamento das organizações. Sobre esse assunto trataremos neste capítulo da importância da espiritualidade nas organizações e os vínculos criados entre os indivíduos, as organizações e o mercado, a saúde e a doença nas organizações, bem como as suas crises e diagnósticos organizacionais empregados para solucioná-las.

  • CAPÍTULO 9 – AS FASES DO DESENVOLVIMENTO DAS ORGANIZAÇÕES

    O desenvolvimento das organizações empresariais está intimamente ligado ao desenvolvimento das pessoas que as compõem.

    Conforme mencionado no início desse capítulo, somos cocriadores das instituições sociais e das empresas e é certo que elas também passam por fases arquetípicas de desenvolvimento. Assim como os seres humanos que passam ao longo de suas vidas por fases normais de desenvolvimento, as organizações também passam por fases ou etapas de desenvolvimento organizacional. Conhecer essas fases poderá ser importante para compreender o processo evolutivo delas e o papel que cada um de seus componentes exerce nesse processo…

  • CAPÍTULO 10 – INTEGRAÇÃO DA ESPIRITUALIDADE NAS ORGANIZAÇÕES TRANSPESSOAIS

    10.1 – Integração da espiritualidade nas organizações por meio da abordagem transpessoal

    A partir dos estudos da Antroposofia de Rudolf Steiner, podemos afirmar que a organização empresarial é uma reunião de pessoas com interesses e finalidades comuns, que se relacionam entre si, que têm desejos, vontades, caráteres e personalidades próprias. Essas pessoas possuem, além dos corpos físicos onde atuam os cinco sentidos, corpos sutis que se manifestam e são invisíveis aos olhos humanos. Elas possuem uma energia própria individual, uma vibração, criando uma aura característica e diferenciando-as umas das outras. O conjunto de pessoas reunidas numa organização empresarial, ou num departamento desta organização, ou mesmo numa pequena seção, produz uma vibração coletiva, que é composta pela soma de cada uma das vibrações individuais dos seus membros componentes. Isso cria a egrégora da organização, ou o espírito de equipe, do departamento, da seção, ou a “alma do negócio”. Dessa mesma forma, a organização, como um ser vivo, com uma egrégora peculiar, manifesta uma energia própria, ou uma aura, vontade coletiva, caráter e personalidade, criando uma consciência coletiva…

  • CONSIDERAÇÕES FINAIS

    Este livro têm como objetivo principal apresentar a importância do engajamento das pessoas no ambiente de trabalho das organizações empresariais, bem como o conceito de espiritualidade nas organizações com base em uma abordagem da Psicologia Transpessoal. Mostrar que a sua prática assume papel diferenciado na promoção do bem-estar no ambiente organizacional e também da realização pessoal…

  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

    CAPRA, Fritjof e LUISI, Pier Luigi. A Visão Sistêmica da Vida, Editora Cultrix, 2014.
    FIRACE, Tarso. A Era do Significado – As empresas encontram seu lugar no mundo. Edição Abrindo as Velas, 2011.
    GROCHOWIAK, Klaus e COSTELLA, Joachim. Constelações Organizacionais, Editora Cultrix, 2001.
    JACQUES, Wilson Antunes. Abordagem Transpessoal: considerando a realidade com maior amplitude e profundidade. Workshop: Espiritualidade nas Empresas, Florianópolis, 2010.
    LANZ, Rudolf. Noções Básicas de Antroposofia. Editora Antroposófica Ltda, 1983.
    MOGGI, Jair. Gestão Viva ! A célula como modelo de organização. Editora Gente, 2001.
    MOGGI, Jair; BURKHARD, Daniel. Como Integral Lideranças e Espiritualidade – a visão espiritual das pessoas e das organizações. Elsevier Editora Ltda, 2004.
    ______ O Espírito Transformador. Editora Antroposófica Ltda, 2000.
    ______ Transforme-se. Editora Gente, 1998.
    ______ O Capital Espiritual da Empresa. Elsevier Editora Ltda, 2009.
    ROCHA, Leila Mendes e ABREU, Antonio Carlos D. Apostila do Curso de Formação em Psicoterapia Integrativa da Memória e Consciência, módulo VI – O Despertar do Ser Terapêuta I, Instituto de Pesquisa e Estudo da Consciência – IPEC, Campinas/SP, 2014.
    ______ Apostila do Curso de Formação em Psicoterapia Integrativa da Memória e Consciência, módulo VII – Os Centros de Força na PIMC, Instituto de Pesquisa e Estudo da Consciência – IPEC, Campinas/SP, 2014.
    RODRIGUES, Claudia Medianeira Cruz e SILVA, Walmir Rufino da. Motivação nas Organizações, Editora Atlas, 2007.
    SALDANHA, Vera, Psicologia Transpessoal – Abordagem Integrativa Um Conhecimento em Psicologia da Consciência. Editora Unijuf, 2008.
    STAM, Jan Jacob. A Alma do Negócio. Editora Atman Ltda, 2006.
    TRANJAN, Roberto Adami. A empresa de Corpo, Mente & Alma. Palavra Acesa Editora, 2014.
    WEIL, Pierre. Organizações e Tecnologias para o Terceiro Milênio – A Nova Cultura Organizacional Holística. Editora Rosa dos Tempos, 1997.
    ______ A Arte de Viver em Paz – Por uma nova consciência e educação. H R Gráfica e Editora Ltda, 2002.
    YUNUS, Muhammad. Um Mundo Sem Pobreza – A empresa social e o futuro do capitalismo. Editora Ática, 2007.

OPINIÃO DOS LEITORES

  • “Uma obra relevante sobre um tema atual, cuja publicação torna seu conteúdo um importante fonte para pesquisas e aplicação nas organizações.

    Umehara Parente, empresário, autor e professor universitário.
  • “Feliz iniciativa de trazer uma proposta de enfrentar o desafio de se buscar a saúde integral da organização e de seus colaboradores.”

    Antonio Carlos, Psicólogo e Diretor do IPEC – Campinas, SP
  • “Um conceito das organizações como entidades provenientes das ações humanas em todos os níveis.”

    Leila Rocha, Psicóloga Clínica na abordagem transpessoal.
  • “Este livro traz uma reflexão sobre o resgate dos valores construtivos e o propósito existencial do trabalho nas organizações empresariais. É muito interessante a abordagem que os autores fazem à respeito das relações de pertencimento e hierarquia, que trazem o equilíbrio e a produtividade proporcionando valores intangíveis ao negócio. “

    Ana Paula Hunziker – idealizadora da HZK Marketing com Propósito
  • “O talento e a competência do Yunare e do Marcos em lidar com pessoas no cotidiano delas em seus ambientes de trabalho estão claramente expressos no livro Desenvolvendo Organizações. A obra é um alento para todos os líderes que buscam o elixir da motivação para si próprios e suas equipes.”

    Mauro Costa, empresário e jornalista

    OUTROS LIVROS DO AUTOR

    É um fato conhecido de todos que um leitor se distrairá com o conteúdo de texto legível de uma página quando estiver examinando sua diagramação. A vantagem de usar Lorem Ipsum é que ele tem uma distribuição normal de letras, ao contrário de “Conteúdo aqui, conteúdo aqui”

    ENTRE EM CONTATO CONOSCO

    EDIÇÃO

    PROMOÇÃO

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *